Comparando Carros Usados

Comparando Carros Usados

Conforme o modelo em questão, há ainda algumas recomendações específicas, comparando carros usados e debaixo do capo lhe mostra isso.
Isso vale, por exemplo, para carros usados e para automóveis zero quilômetro.
Vamos começar pelos usados?

Fora de linha x Em produção

Algo importante a levar em conta é se o modelo saiu de linha ou ainda está em produção.
Não é um fator impeditivo à compra, mas se ele não é mais fabricado, a tendência é que seja mais difícil achar peças de reposição.
Além disso, sua desvalorização costuma ser maior, em especial no curto prazo.

Olho na lataria

Também tenha atenção redobrada às condições da lataria.
Ao comparar carros de cores diferentes, cuidado para não se deixar enganar por imperfeições escondidas por chuva, neblina ou até mesmo sol muito forte – principalmente em veículos pretos.
Cores berrantes x clássicas
Por falar em cores, esse é um item imprescindível no comparativo.
Na dúvida entre um tom clássico e outro da moda, fique com o primeiro.
Lembre sempre que aquilo que faz sucesso hoje pode ser detestado amanhã.
Para revender, será um problema.
Se for de prata, preto ou branco, são poucas as chances de errar.

Desgaste interno

Não esqueça de verificar o desgaste de itens internos, como bancos, pedais, maçanetas, aro do volante e alavanca de câmbio.
Embora sejam detalhes mais relacionados à aparência do que ao desempenho, são importantes para fins comparativos.
Ainda por cima que pode detectar um desgaste em relação a km informada.

Revisões periódicas

Peça ao atual proprietário para checar datas de revisões e de trocas de óleo.
Se ele não tem um controle sobre isso, talvez não seja um bom carro para você.

Pneus novos x seminovos x carecas

E os pneus, como estão?
São um item de extrema necessidade do ponto de vista da segurança.
Isso sem falar que pneu careca dá multa.

Histórico de multas

Outro aspecto que serve para comparar carros, mas que muita gente deixa passar batido, diz respeito ao histórico de infrações do veículo.
Não significa apenas consultar se há multas pendentes.
É importante considerar que, se o automóvel teve muitas infrações registradas, pode ser um sinal de desleixo na sua condução.

Com ou sem garantia

Especialmente se o veículo escolhido for seminovo, é interessante escolher um modelo que mantenha a garantia de fábrica.
Hoje, várias montadoras oferecem carros com até seis anos de garantia.
Para isso, exigem que as revisões sejam feitas em concessionárias autorizadas.
Pode ser uma forma de economizar futuramente.

Nacional x importado

Já falamos sobre isso, mas vale repetir: carros importados costumam oferecer maior dificuldade para encontrar peças de reposição.
Por vezes, isso costuma se refletir também no preço do seguro.

Europeus x americanos x asiáticos

Há carros para todos os gostos.
Não é surpresa se deparar com marcas até então desconhecidas anunciando modelos completos por um valor mais em conta.
Especialmente com relação a veículos fabricados na China, essa é uma situação já corriqueira.
Não significa que necessariamente são más escolhas.
Mas ao comparar carros, talvez seja interessante escolher montadoras mais conhecidas e que já atuam há mais tempo no mercado nacional, inclusive fisicamente.

Modificados x originais

Comprar um carro modificado pode ser atrativo se a personalização realizada nele combina com seu estilo.
Mas saiba que, por isso, tende a pagar um valor mais alto do que o estabelecido para o modelo na tabela Fipe.
Além disso, é necessário confirmar se o veículo passou pelo processo de regularização junto ao Detran, o Departamento Estadual de Trânsito.
Sem isso, rodar com ele vai resultar em multa.

Segue no próximo pagina.